quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

O futuro dos alimentos

Não circula nos grandes aparatos midiáticos os crimes perpetrados diariamente pelo agro-negócio. Trata-se de crimes contra a soberania alimentar dos povos e que põe em risco, se não a existência do planeta, a própria vida de milhares ou bilhões de pessoas. Bom, muito de nós já sabemos disso, mas é preciso comprometer cada vez mais pessoas com um tipo de consumo e de prática social que apontem para a compreensão dos riscos do modo de vida qua as "monsantos" da vida nos oferece.
O vídeo abaixo é importante no sentido de divulgar o que está acontecendo com industrialização da agricultura; o controle legal das sementes, com a concomitante redução das mesmas e o impacto disso tudo na vida das sociedades humanas.
Estima-se que no passado havia mais de 5.ooo tipos de batatas, por exemplo, e só nos EUA havia, no século XIX, mais de 7.ooo variedades de maçãs. Tudo isso foi reduzido para melhor controle das indústrias de veneno e de sementes, tendo essas duas se juntado e se transformado em grandes conglomerados, como a já mencionada monsanto.
O vídeo é ótimo para trabalho em sala de aula. Vejam (aqui está somente a primeira parte):

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Só dez por cento é mentira - documentário sobre o ser letral de Manoel de Barros

 Ao sair do cinema tive a seguinte sensação: ler Manoel de Barros não é perder tempo. Aliás, sua literatura não tem nada a ver com o tempo, para que possamos perdê-lo. Ler Manoel é estar de modo de eternidade. É estar circunstanciado de nada, e estabelecer inutilidades. Foi com uma sensação de eternidade que saí do documentário "só dez por cento é verdade", que trata do "ser letral" do poeta Manoel de Barros. Certa feita (mas isso não aparece no documentário) o grande poeta Carlos Drummond disse que o maior poeta vivo brasileiro era o Manoel de Barros. Ele disse isso no momento em todos diziam que o maior poeta brasileiro era ele, Drummond.
O documentário capta a atmosfera "manoelina", e o poeta aparece muito a vontade, com seu bom humor peculiar. É um filme para ver, rever e se ver nele. Refletir sobre a linguagem e o tempo, apesar de que a obra do poeta não propõem reflexão, pois como ele mesmo diz, sua obra é de poesia e não de filosofia. É obra pra se abismar, se perder, e se reencontrar do outro lado da margem do ser.
Bom, pensando bem, a obra do mestre Manoel de Barros é toda uma filosofia, ainda que não seja...

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Marcus Pereira e a memória musical brasileira

Em uma bela canção intitulada “o que foi feito deverá”, Milton Nascimento nos canta uns versos que podem ser tomados como referência pra todo país ou toda sociedade que preze sua memória. Dizem eles: “falo assim sem saudade / falo por acreditar / que é cobrando o que fomos / que nós iremos crescer”. Muito se tem dito sobre o Brasil ser um país desmemoriado e que não costuma dar o devido valor a seus artistas quando estes não são sucesso de massa. É para lutar contra essa falta de memória nacional, que falaremos aqui de um brasileiro cujo destino trágico deve nos servir de lição para tempos vindouros. Refiro-me ao publicitário e produtor musical Marcus Pereira.
Marcus Pereira realizou na década de 1970 um empreendimento que resultou em um dos maiores registros da música popular brasileira não comercial. Pelos seus registros passaram: Elomar, Quinteto Armorial, Cartola, Clementina de Jesus, Quinteto Violado e tantas outras jóias da cultura musical brasileira. Pra se ter uma ideia, foi sob seus auspícios que o mestre Cartola fez, em 1974, sua primeira aparição em disco, já contando com sessenta e quatro anos de idade.
Tudo começou no final da década de 1960 quando Marcus era dono de uma rentável empresa de publicidade em São Paulo. Ele e mais outros amigos freqüentavam o bar Jogral, que era uma espécie de ponto de encontro do pessoal que curtia Música Popular na capital paulista. Junto com o dono do bar Luís Carlos Paraná e mais alguns circunstantes, Marcus realizou o lançamento do disco “onze sambas e um capoeira”, em homenagem a Paulo Vanzolini. Este lançamento foi o embrião do que viria a ser posteriormente o selo Marcus Pereira Discos. Este primeiro disco foi usado para servir de brinde de final de ano da empresa do publicitário. A coisa foi dando certo e poucos anos depois Marcus abandona a empresa de publicidade e se dedica totalmente ao seu novo empreendimento.
No início da década seguinte ele faz um mapeamento de toda a música regional brasileira lançando 4 lp’s para cada uma das cinco regiões do Brasil. Logo na primeira, a região Nordeste, Marcus recebeu o prêmio Estácio de Sá, outorgado pelo Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro. Mas os tempos eram difíceis, e em plena ditadura militar esse não era um empreendimento fácil de se levar a cabo. De todo modo, Marcus ainda conseguiu o financiamento de algumas agências de fomento, e algumas parcerias com secretarias de cultura de uma ou outra cidade. Mas era pouco, e logo o ex-publicitário se viu enredado pela máquina mortal dos juros bancários.
Um dos gargalos da produção da Marcus Pereira Discos estava na distribuição, e dessa forma seu mentor firmou contrato com a Copacabana Discos para tentar sanar o problema. Mas não teve êxito. Não conseguindo cumprir todas as cláusulas do contrato – que segundo Paulo Eduardo Neves, da revista “samba e choro” era por demais leonino – Marcus viu sua empresa ir a falência. Dessa forma, depois de todo esforço realizado com brilhantismo, abnegação e acima de tudo com originalidade, Marcus Pereira se suicida, e todo o acervo de mais de 140 lp’s vai parar nos estoques da gravadora Copacabana.
Posteriormente todo o acervo Marcus Pereira foi parar nos porões da gravadora multinacional EMI, que por sua vez não demonstrou nenhum interesse nesse acervo, uma vez que seu verdadeiro interesse eram as gravações da jovem guarda. A multinacional ainda publicou alguns títulos, como o primeiro disco do Cartola, por exemplo, mas o fez sem nenhum tratamento de áudio e com a parte gráfica deixando muito a desejar. Dessa forma, o esforço de uma vida de pesquisa está mofando nas prateleiras de uma empresa totalmente descompromissada com a cultura brasileira. Tente encontrar, caro leitor, no sítio eletrônico da Emi Music Brasil, algum disco do selo Marcus Pereira e se sentirá, como eu, absolutamente desapontado. Este é, sem dúvida, um crime de lesa cultura nacional.
São duas tragédias numa só. Por um lado a tragédia pessoal de Marcus Pereira, e do outro a não publicação comercial desse riquíssimo acervo resultado de tão importante pesquisa. O que minimiza um pouco toda essa tragédia é a possibilidade de acessar uma parte desse acervo através dos blogs de música.
Ao concluir este artigo tentei achar na internet uma foto desse grande brasileiro e, pasmem, não achei nenhum registro visual seu. Lamentável...

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Lúcia Hippolito Bêbada??

Essa gente ainda tem a cara de pau de chamar o Lula de pinguço. Olha só a Lúcia Hippolito falando na CBN (a rádio que repete notícias).


Posturas corretas





Enviado pela colaboradora Catarina Peregrino

__________________________________________
 

Dicas para não prejudicar a coluna ao dormir:
Travesseiro, o melhor amigo

Cabeça:

Acredite: o seu apoio para cabeça é fundamental para se ter uma boa noite de sono. Na hora de escolher, você precisa considerar o material de que ele é feito e, claro, a posição em que é colocado.

Para se dormir de lado a altura do travesseiro tem que ser igual à distância entre o pescoço e a parte externa do braço. Já para quem dorme com a barriga para cima, o melhor é levar para a cama um apoio mais baixo, preenchendo o espaço entre o pescoço e a nuca, sem comprimir a coluna.

Até ele se aposenta

O travesseiro deve ser trocado, no mínimo, a cada dois anos. Na hora de escolher o melhor modelo, é importante observar algumas regras. Apoios de pena, por exemplo, podem exalar um odor forte capaz de incomodar olfatos mais sensíveis, embora muita gente se adapte a ele. Ideal, sempre, é dar preferência a enchimentos que se deformam com menos facilidade.

O tamanho também conta. É melhor que seja largo para não sair do lugar com qualquer movimento do seu corpo durante a noite. E, mesmo que possa parecer um mico, o ideal é experimentar o modelo escolhido ainda na loja.

  Posições  corretas para dormir (certo e errado)

De lado (CERTO): Mantenha a coluna alinhada e os braços abaixo do queixo. Os joelhos devem estar flexionados e com um travesseiro fino entre eles para impedir a sua rotação. Isso também evita que a região lombar fique estendida, o que, a longo prazo, pode provocar hérnia de disco.

De lado (ERRADO): Nunca deixe a mão sob a cabeça, porque essa postura compromete a circulação no braço e força o travesseiro contra o rosto, o que favorece o aparecimento de linhas de expressão. Procure, ainda, não dormir com o corpo todo encolhido. (faça um bom alongamento antes de deitar)

Barriga para cima (CERTO): Coloque um travesseiro fino ou um rolinho de espuma sob os joelhos para que permaneçam semi-flexionados durante a noite, deixando os quadris bem posicionados e os músculos da região lombar relaxados.

Barriga para cima (ERRADO): Não é correto dormir com as pernas muito esticadas, porque isso força a região lombar. Além disso, nunca dobre o travesseiro para que ele fique mais alto porque aí a tendência é repousar a cabeça sobre a dobra, forçando demais a região cervical. A regra de não dobrar, aliás, é válida para todas as pessoas.

De bruços, jamais!

A pessoa que dorme de barriga para baixo acorda cansada e toda dolorida, pois o rosto não pode ficar afundado no travesseiro. Além disso, as regiões torácica e a lombar são prejudicadas nessa postura.

Colchão sem pressão

O colchão ideal para um sono tranqüilo não pode ser muito macio nem muito firme, ou seja, deve simplesmente se amoldar ao corpo confortavelmente , ensina a diretora da Copespuma, Gisele Sapiro. Prefira os de látex, que tem como benefício principal o fato de se adaptarem com perfeição aos contornos do corpo, aliviando os pontos de pressão .


Em pé, qual o modo correto de elevar pesos, colocar ou retirar objetos de lugares altos?





Se você elevar um peso acima da cabeça, estará agredindo tanto a cervical quanto a lombar. Para não prejudicar sua coluna, apóie o objeto pesado no seu corpo e suba em uma escada ou banquinho para depositá-lo adequadamente.
Quando tiver que realizar atividades com os braços elevados, como os professores ao escrever no quadro negro, mantenha-os na altura do ombro ou no máximo até a altura da cabeça. Se necessário, utilize uma escada, banco ou estrado. Também é recomendável não se curvar, por exemplo, para corrigir a lição do aluno, ou em situações similares.

Qual a melhor forma de proteger a coluna ao se trabalhar em pé?
Em profissões em que é necessário trabalhar de pé, como dentistas, balconistas e outras, deve-se usar um banco alto de apoio, tendo o cuidado de colocar os pés no chão e evitar curvar a coluna.





Ao realizar atividades domésticas, trabalhos sobre mesa ou balcão?
Evite trabalhar com o tronco totalmente inclinado. Se você trabalha em frente a uma bancada, ou se estiver passando roupa, certifique-se de que a mesa tem altura suficiente para que você não precise se inclinar. Se for necessário ficar muito tempo em pé, aconselha-se utilizar um pequeno suporte (mais ou menos do tamanho de um tijolo) para colocar alternadamente sob os pés. Em frente à pia do banheiro e ao fazer a cama, dobre os joelhos. Ao varrer ou aspirar pó ou em movimentos semelhantes, evite "torcer" a coluna.



Como proteger a coluna ao trabalhar agachado, no jardim, por exemplo?
Ao trabalhar agachado, flexione os joelhos e mantenha as costas retas. Se for possível, apóie uma das mãos em um dos joelhos. Ou então, ajoelhe-se sobre uma das pernas e apóie o tronco sobre a coxa, alternando entre uma perna e outra; ou ainda, use um pequeno banco para sentar.




Como carregar mochilas, compras, malas e outros objetos pesados?
Mochilas devem ser presas às costas e não penduradas em um só ombro. As compras devem ser divididas entre as duas mãos. Malas e outros objetos pesados devem ser levados em um carrinho, que deve ser empurrado e não puxado.





Como caminhar?
Ao caminhar, olhe para a frente, mantendo o abdômen contraído. O tipo de sapato ideal para o dia-a-dia deve ser fechado atrás para dar estabilidade às passadas, ter o salto de base larga e leve, com altura de no máximo 4 centímetros , e de preferência, com amortecimento. Para caminhadas, utilize um tênis adequado.




Como sentar-se adequadamente?
A cadeira ideal tem encosto reto, de forma a apoiar a região média da coluna, com abertura para as nádegas. As coxas devem estar apoiadas suavemente em todo o assento com os joelhos em 90º e os pés apoiados no chão. Não use cadeiras reclináveis.


Como sentar-se no trabalho?
No trabalho, em frente a uma mesa ou digitando no computador, permaneça com as pernas debaixo da mesa; coloque o computador a uma altura adequada e fique com os braços junto ao corpo. Utilize um suporte para que o texto fique na altura dos olhos e em frente. Como a altura da mesa nem sempre é adequada, deve-se elevar o que está se fazendo de modo a não curvar muito a região cervical e a dorsal. Estando sentado, nunca gire para pegar um objeto às costas. E atenção: não apóie o telefone entre a orelha e o ombro pois isto força a coluna cervical.




Qual a melhor postura para ler?
A leitura deve ser feita na frente de uma mesa com um apoio para o livro. Deficiências visuais (você precisa de óculos?) devem ser corrigidas para evitar posturas inadequadas.


Como proteger a coluna ao assistir TV e relaxar em casa?
Não assista TV na cama, mas sentado adequadamente. Algumas pessoas cochilam enquanto assistem TV e a cabeça pende, ficando numa posição que leva à dor e à contratura muscular. Para evitar, deve-se manter sempre a cabeça apoiada. Não deite de lado, com a cabeça apoiada no braço do sofá. Não sente no chão, pois não há altura para as pernas.













E ao dirigir?
Use os espelhos retrovisores para não torcer o pescoço. Regule o banco de modo a acomodar a coluna o mais próximo da posição vertical; a distância dos pedais não deve ser muito grande, para que você não precise se esticar, o que também afeta a postura.




Como levantar corretamente da cama?
Quando você acorda, sua coluna está em relativo repouso. Assim, procure levantar calmamente, para não agredi-la. Sem levantar a cabeça, fique deitado de lado, dobre as pernas e impulsione o corpo com a mão, ao mesmo tempo em que coloca as pernas para fora da cama.







Estando em pé, qual a melhor maneira de levantar e carregar pesos?
Ao erguer um peso, abaixe-se, flexionando os joelhos até em baixo sem curvar a coluna. Se o objeto for volumoso e pesado, carregue-o junto ao tronco. Se possível, coloque o objeto em um carrinho e empurre-o ao invés de carregá-lo.








Fonte: Site do Ministério da Saúde.
Biblioteca Virtual em Saúde do Governo Federal

Carnavalização

Aproveitando esse momento de já quase pós carnaval, eu resolvi postar abaixo um vídeo que é uma verdadeira carnavalização, tal qual teorizou o crítico Mikhail Baktin. Trata-se de um conceito que designa uma ocorrência comum na cultura popular de inverter simbolicamente a ordem social "normal", produzindo uma espécie de mundo às avessas. No caso do vídeo abaixo, o autor "musicou" um trecho de uma palestra de Ariano Suassuna com uma levada de funk carioca. A inversão fica por conta do fato de que Ariano, mesmo sendo um autor que lida com o material da cultura popular, é um autor identificado com a "alta cultura", com uma literatura "sofisticada". Por outro lado, o funk carioca, utilizadocomo base musical, é visto por muitos como uma produção menor. Mas o fato é que a junção dos dois deu um resultado muito engraçado. Vejam e avaliem...






Ocorreu um erro neste gadget