quarta-feira, 14 de abril de 2010

A podridão da Veja, por ela própria

Se alguém se der ao trabalho de buscar esses tipos de "auto-denúncia" da revista Veja, vai encontrar muitas contradições como está. Aliás, não apenas da Veja, mas de muitas empresas de comunicação integrantes do PIG (Partido da Imprensa Golpista). Tudo vai ao sabor das conveniências do momento. Talvez fosse o caso, como sugeriu um amigo, de acionar essas empresas do ponto de vista da relação de consumo. É como se nos vendessem sistematicamente produtos estragados. Defesa do consumidor neles!
 Este post foi uma contribuição do amigo Brunão.






obs. Clique na imagem para ampliá-la.

terça-feira, 13 de abril de 2010

a rede bandeirantes e o caso "Irmã Dorothy"

 Continuo mantendo o hábito de, sempre que posso, enviar cartas às redações das empresas de comunicação. Já está mais do que evidente que essas empresas agem sistematicamente em defesa dos grupos econômicos aos quais estão vinculados. Vivem com essa lenga-lenga de "liberdade de imprensa" e outras baboseiras, mas mal conseguem disfarçar os vínculos ideológicos que as animam. Vejam o caso, mais uma vez, da rede bandeirantes. Na edição do dia 13 de abril ela tratou do julgamento de Vitalmiro Bastos de Moura, acusado de ser o mandante do crime que vitimou a Irmã Dorothy, com o maior descaso do mundo. Deu apenas uma notinha a uma notícia que reverberou pelo mundo todo. O crime foi bárbaro e expôs ao mundo uma ferida que não raro vive vertendo pus. O pus do latifúndio; o pus da casa-grande e do mandonismo rural brasileiro. 
   O presidente da Band, João Saad, é vinculado ao agronegócio brasileiro e inimigo público do MST. Sua emissora é extremamente parcial quando se trata de cobrir questões ligadas ao campo. Demoniza o quanto pode as associações de trabalhadores rurais como a Via Campesina e o MST. Mas eu, por ingenuidade, não pensei que eles pudessem chegar a esse ponto. Mas, como eu disse, só por ingenuidade eu poderia pensar dessa forma. A irmã Dorothy Dorothy vivia há 20 anos na região, atuando no trabalho com camponeses e na luta contra grileiros de terras. Teve toda sua vida comprometida lutando contra essa gente que a Band tão bem representa. Não era de se esperar outro comportamento desses vermes rastejantes. 
 Enviei esse e-mail abaixo para a redação do jornal, e quem quiser se manifestar é so entrar no link abaixo:


e-mail enviado a redação do "jornal da band"


Mais uma vez me senti indignado ao assistir ao jornal da Band. Refiro-me a edição de 13 de abril, a qual tratou do julgamento da Irmã Dorothy Stang de uma forma superficial. Parecia até que o jornal só fez a matéria porque se sentiu forçado a isso, uma vez que trata-se de um assunto de muito impacto nacional e internacional. Fiquei pensando mesmo a que se pode atribuir esse descaso. Não pude concluir pela razão da incompetência, pois o jornal é composto por quadros da mais alta competência. Só pude pensar que tal descaso aconteceu pelo fato do Sr. João Saad, patrão dos que fazem o jornal, ter vínculos tão estreitos com a parte mais reacionária do setor agrícola brasileiro. Até parecia que o jornal estava vexado, com vergonha ou qualquer coisa assim. Formalmente quem matou a Irmã Dorothy foi Vitalmiro Bastos de Moura, mas os responsáveis são aqueles que defendem o latifúndio a todo custo; os que colocam o lucro financeiro acima da vida; aqueles que são na contemporaneidade os herdeiros da casa-grande de outrora. Sr. Boechat que é tão indignado e veemente em alguns momentos, parecia acanhado. Que cena deplorável. Enquanto isso, uma empresa concorrente de vocês fez uma extensa matéria sobre o julgamento...
Gol contra da rede Bandeirantes!!
Ocorreu um erro neste gadget