terça-feira, 11 de janeiro de 2011

A surpeendente verdade sobre o que nos motiva

Ken Robinson é um pensador na área de educação nada ortodoxo, e suas teses também vão de encontro ao que é o senso comum na educação. Outro dia mesmo ouvi de uma colega que não ia aprovar um certo aluno, mesmo ele estando bem em outras matérias, pois sua disciplina era muito importante. Se ela fosse, continuou, professora de Artes, aí sim, aprovaria. Esse tipo de raciocínio é debatido por esse pensador inglês em um vídeo chamado "changing education paradigms" que também está no youtube, porém sem tradução. Quem quiser ler o texto em português disponibilizarei o link para o texto traduzido que está no site eu vi o mundo. http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/organizando-as-ideias-ken-robinson-as-massas-brasileiras-e-o-neurocientista.html


Segue abaixo o vídeo A surpreendente verdade sobre o que nos motiva. Vejam:

Carta do ministro Jorge Hage à revista Veja

Contribuição da amiga Catarina Peregrino:
____________________________________________

O ministro-chefe da Controladoria-Geral da União, Jorge Hage, enviou nesta segunda-feira, 27/12, carta à revista Veja, na qual contesta a afirmação de que o Governo Lula foi “o mais corrupto da República”. "Será ele o mais corrupto porque foi o primeiro Governo da República que colocou a Polícia Federal no encalço dos corruptos, a ponto de ter suas operações criticadas por expor aquelas pessoas à execração pública? Ou por ser o primeiro que levou até governadores à cadeia?", indaga Hage em sua carta. Leia a íntegra:

“Brasília, 27 de dezembro de 2010.


Sr. Editor,

Apesar de não surpreender a ninguém que haja acompanhado as edições da sua revista nos últimos anos, o número 52 do ano de 2010, dito de “Balanço dos 8 anos de Lula”, conseguiu superar-se como confirmação final da cegueira a que a má vontade e o preconceito acabam por conduzir.

Qualquer leitor que não tenha desembarcado diretamente de Marte na noite anterior haverá de perguntar-se “de que país a Veja está falando?”.
E, se o leitor for um brasileiro e não integrar aquela ínfima minoria de 4% que avalia o Governo Lula como ruim ou péssimo, haverá de enxergar-se um completo idiota, pois pensava que o Governo Lula fora ótimo, bom ou regular.
Se isso se aplica a todas as “matérias” e artigos da dita Retrospectiva, quero deter-me especialmente às páginas não-numeradas e não-assinadas, sob o título “Fecham-se as cortinas, termina o espetáculo”. Ali, dentre outras raivosas adjetivações (e sem apontar quaisquer fatos, registre-se), o Governo Lula é apontado como “o mais corrupto da República”.
Será ele o mais corrupto porque foi o primeiro Governo da República que colocou a Polícia Federal no encalço dos corruptos, a ponto de ter suas operações criticadas por expor aquelas pessoas à execração pública? Ou por ser o primeiro que levou até governadores à cadeia, um deles, aliás, objeto de matéria nesta mesma edição de Veja, à página 81?
Ou será por ser este o primeiro Governo que fortaleceu a Controladoria-Geral da União e deu-lhe liberdade para investigar as fraudes que ocorriam desde sempre, desbaratando esquemas mafiosos que operavam desde os anos 90, (como as Sanguessugas, os Vampiros, os Gafanhotos, os Gabirus e tantos mais), e, em parceria com a PF e o Ministério Público, propiciar os inquéritos e as ações judiciais que hoje já se contam pelos milhares? Ou por ter indicado para dirigir o Ministério Público Federal o nome escolhido em primeiro lugar pelos membros da categoria, de modo a dispor da mais ampla autonomia de atuação, inclusive contra o próprio Governo, quando fosse o caso? Ou já foram esquecidos os tempos do “Engavetador-Geral da República”?
Ou talvez tenha sido por haver criado um Sistema de Corregedorias que já expulsou do serviço público mais de 2.800 agentes públicos de todos os níveis, incluindo altos funcionários como procuradores federais e auditores fiscais, além de diretores e superintendentes de estatais (como os Correios e a Infraero).
Ou talvez este seja o governo mais corrupto por haver aberto as contas públicas a toda a população, no Portal da Transparência, que exibe hoje as despesas realizadas até a noite de ontem, em tal nível de abertura que se tornou referência mundial reconhecida pela ONU, OCDE e demais organismos internacionais.
Poderia estender-me aqui indefinidamente, enumerando os avanços concretos verificados no enfrentamento da corrupção, que é tão antiga no Brasil quanto no resto do mundo, sendo que a diferença que marcou este governo foi o haver passado a investigá-la e revelá-la, ao invés de varrê-la para debaixo do tapete, como sempre se fez por aqui.
Peço a publicação.

Jorge Hage Sobrinho
Ministro-Chefe da Controladoria-Geral da União”

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Mulher sem umbigo??

Talvez tenha sido uma falha, ou talvez não, e nesse caso o objetivo poderia ser chamar a atenção de alguma forma, visto que mulheres bonitas, piadinhas sem graça e ambientes bonitos (geralmente praia) já se tornou muito redundante em comercial de sandálias. Ou talvez nada disso: um simples erro, ou excesso de photoshop. Não sei, quem quiser tire suas conclusões.


domingo, 9 de janeiro de 2011

O caso Battisti, Berlusconi e a mídia brasileira

    O Caso Cesare Battisti é mais um caso no qual vemos como a cobertura jornalística é simplesmente um lixo, pra dizer de uma forma leve. O princípio da sonegação de informação é sistemática de modo a induzir a um determinado juízo. Acredito que qualquer um tem o direito de se posiocionar dessa ou daquela forma, mas o que não é aceitável é esse comportamento da mídia de se filiar a uma tendência, quase sempre de direita, e montar e truncar as informações. Nesse caso quais são as informações sonegadas: 1) a grande mídia não fala do apoio que a decisão do governo Lula teve na Itália. O truque é mostrar que existe um concenso na Itália a favor de Berlusconi. Há muito cartazes espalhados pelo país; 2) a grande mídia não fala que a manifestação realizada na Itália contra a decisão do Brasil foi patrocinada por partidos de direita e neo-fascistas, e que as pessoas que lá estavam (pouco mais de uma centena) era de funcionários desse partidos; 3) a grande mídia brasileira silencia sobre as manipulações e sonegações de informação feitas na televisão de Berlusconi, sendo que se algo parecido fosse feito na Venezuela, por exemplo, seria tratado como um escândalo e um atentado contra a democracia; 4) a grande mídia do Brasil omite criminosamente dados relativos ao contexto em que se deu a prática militante de Cesare Battisti. Ela não fala por exemplo sobre a "Gladio" e os "exércitos secretos da Otan". Tudo isso é fartamente documentado hoje em dia e basta uma busca no google com esses termos para se ter uma ideia dos fatos. A palavra terrorista, utilizada para Battisti tem a mesma carga reacionária do termo quando utilizado para os militantes que lutavam contra a ditadura militar brasileira na década de 1970 (e lembramos bem de que lado estava esta grande imprensa naquele momento); 5) O Estado italiano é mostrado por esta grande mídia como um estado de direito. É mentira!!! Era um estado mafioso que sequestrava e matava pessoas, controlado por grupos que promoviam um verdadeiro estado terrorista, ou então promoviam julgamentos que eram verdadeiras farsas.
    É insustentável, portanto, que pessoas de bem se aliem a essa corja midiática ou à direita italiana. Essa operação de caça ao escritor e ex-militante Cesare Battisti guarda um paralelo com a situação da ditadura argentina quando esta na década de 1970 resolveu fazer uma guerra contra a Inglaterra para criar um clima de unidade nacional, com o desejo velado de dar fôlego a um regime a beira da extenuação. É isso que faz Berlusconi e sua escalada direitista.
   Para quem quiser saber mais sobre o caso, basta seguir os links abaixo:

 
Ocorreu um erro neste gadget