sábado, 19 de dezembro de 2009

O homem que engarrafava nuvens

Em janeiro irá estrear um documentário sobre Humberto Teixeira. Vi o trailer e deu muita vontade de ver o filme. Postei-o abaixo pra que você também fiquem com o mesmo gostinho.


Igrejas bizarras...

Recebi da minha amiga Débora Rios uma lista com nomes bizarros de igrejas evangélicas - nem sei se podemos chamá-las assim-, confesso que não pude resistir ao riso, e, claro, nem haveria porquê. A mensagem que recebi fala da criatividade do pessoal para dar nomes aos seus negócios, digo, suas igrejas. Mas não poderia ser diferente, pois cada dia surge uma nova igreja, o que exige de seus dirigentes muita inventividade. Não colocarei aqui a lista completa que recebi, pois é muito extensa. Postarei apenas as que achei mais engraçadas. E reprarem que tem para todos os gostos. Tem as ecológicas: "coração reciclado"; tem as que poderiam ser filme: "cruzada de emoções"; tem as auto-celebrativas: "Pastor Waldevino Coelho, a Sumidade"... Enfim, tem de todo tipo.

Igreja da Água Abençoada
Igreja Adventista da Sétima Reforma Divina
Igreja da Bênção Mundial Fogo de Poder
Congregação Anti-Blasfêmias
Igreja Chave do Éden
Igreja Evangélica de Abominação à Vida Torta
Igreja Batista Incêndio de Bênçãos
Congregação Passo para o Futuro
Igreja Explosão da Fé
Igreja Pedra Viva
Comunidade do Coração Reciclado
Igreja Evangélica Missão Celestial Pentecostal
Cruzada de Emoções
Igreja C.R.B. (Cortina Repleta de Bênçãos)
Congregação Plena Paz Amando a Todos
Igreja Aceita a Jesus
Igreja Pentecostal Jesus Nasceu em Belém
Igreja Evangélica Pentecostal Labareda de Fogo
Congregação J. A. T. (Jesus Ama a Todos)
Igreja Barco da Salvação
Igreja Evangélica Pentecostal a Última Embarcação Para Cristo
Igreja Pentecostal Uma Porta para a Salvação
Comunidade Arqueiros de Cristo
Igreja Automotiva do Fogo Sagrado
Igreja Batista A Paz do Senhor e Anti-Globo
Assembléia de Deus do Pai, do Filho e do Espírito Santo
Igreja Palma da Mão de Cristo
Igreja Menina dos Olhos de Deus
Igreja Pentecostal Vale de Bênçãos
Associação Evangélica Fiel Até Debaixo D’Água
Igreja Batista Ponte para o Céu
Igreja Pentecostal do Fogo Azul
Comunidade Evangélica Shalom Adonai, Cristo!
Igreja da Cruz Erguida para o Bem das Almas
Cruzada Evangélica do Pastor Waldevino Coelho, a Sumidade
Igreja Filho do Varão
Igreja da Oração Eficiente
Igreja da Pomba Branca
Igreja Socorista Evangélica
Igreja ‘A’ de Amor
Cruzada do Poder Pleno e Misterioso
Igreja do Amor Maior que Outra Força
Igreja Dekanthalabassi
Igreja dos Bons Artifícios
Igreja Cristo é Show
Igreja dos Habitantes de Dabir
Igreja ‘Eu Sou a Porta’
Cruzada Evangélica do Ministério de Jeová, Deus do Fogo
Igreja da Bênção Mundial
Igreja das Sete Trombetas do Apocalipse
Igreja Pentecostal do Pastor Sassá
Igreja Sinais e Prodígios
Igreja de Deus da Profecia no Brasil e América do Sul
Igreja do Manto Branco
Igreja Caverna de Adulão
Igreja Este Brasil é Adventista
Igreja E.T.Q.B (Eu Também Quero a Bênção)
Igreja Evangélica Florzinha de Jesus
Igreja Cenáculo de Oração Jesus Está Voltando
Ministério Eis-me Aqui
Igreja Evangélica Pentecostal Creio Eu na Bíblia
Igreja Evangélica A Última Trombeta Soará
Igreja de Deus Assembléia dos Anciãos
Igreja Batista Renovada Lugar Forte
Igreja Atual dos Últimos Dias
Ministério Apascenta as Minhas Ovelhas
Igreja Evangélica Bola de Neve
Igreja Evangélica Adão é o Homem
Igreja Evangélica Batista Barranco Sagrado
Ministério Maravilhas de Deus
Igreja Evangélica Fonte de Milagres
Comunidade Porta das Ovelhas
Igreja Pentecostal Jesus Vem, Você Fica
Igreja Evangélica Pentecostal Cuspe de Cristo
Igreja Evangélica Luz no Escuro
Igreja Evangélica O Senhor Vem no Fim
Igreja Pentecostal Planeta Cristo
Igreja Evangélica dos Hinos Maravilhosos
Igreja Evangélica Pentecostal da Bênção Ininterrupta

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Propostas irrecusáveis...

Dando uma passeada pela blogsfera, dei uma passada no blog Mundo Fantasmo, animado pelo escritor e compositor Bráulio Tavares. Lá encontrei, entre tantas coisas interessantes, uma discussão acerca do tema "propostas irrecusáveis". A questão colocada é: "o que acontece quando um sujeito absolutamente honesto recebe uma proposta (desonesta) irrecusável? É, sem dúvida, uma questão embaraçosa, e certamente mais verossímel do que aquelas construções congêneres do tipo: "o que acontece quando uma força irresistível encontra uma barreira intransponível?" Nessa última estamos lidando com um universo objetivo, no qual, os termos que o representa estão em franca contradição; o que não acontece no primeiro caso, no qual o universo subjetivo dá margem para que as coisas não tenham assim tanta nitidez. Nesses campos, digamos, as coisas tendem a ser mais nuançadas, com zonas de sombras e interseções diversas.
Mas toda essa discussão me faz lembrar uma historinha que me foi contada pelo meu amigo Antonio Augusto Fontes, sobre o jornalista Assis Chateaubriand. A história é mais ou menos a seguinte: o ilustre jornalista estava em uma festa e viu uma mulher muito bonita, a qual despertou nele um desejo sexual incontrolável. Ele então procurou um acessor que, transformado em emissário, foi ao encontro da mulher fazer uma "proposta irrecusável". Tratava-se de uma soma em dinheiro que era realmente difícil de não ser aceita, ainda mais levando-se em conta que era só para uma noite. Ela topou, e daí o acessor apresentou um ao outro e a conversa fluiu. Acontece que lá pras tantas, o jornalista mencionou a metade da quantia antes oferecida pelo acessor, o que fez a mulher ter o semblante transformado e por fim dizer pra ele: "você está pensando que eu sou que??" No que prontamente teria respondido Chateaubriand: "o que a senhora é já sabemos, agora é só uma questão de preço". Pois é, este parece ser um caso em que a quantidade (dinheiro) consegue alterar a qualidade (o ser ou não ser da mulher).

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Você já ouviu falar em "neuromarketing"

Pois é amigos, na medida em que vai avançando nossa compreensão sobre a "máquina mundo", e aí incluído nessa máquina nós mesmos, seres humanos, vão aumentando as possibilidades de interferência nesse sistema que somos. Talvez o neuromarketing esteja dentro daquilo que o filósofo Michel Foucault teorizou como biopoder.
Este campo de conhecimento começou nos Estados Unidos com um sujeito chamado Gerald Zaltman, médico e pesquisador da universidade norte-americana de Harvard, que teve a idéia de usar aparelhos de ressonância magnética para fins de Marketing, e não estudos médicos. O termo “Neuromarketing”, no entanto, só viria a ser conhecido alguns anos depois, cunhado por Ale Smidts, um professor de Marketing na Erasmus University em Roterdã, Holanda.
Pois bem, após os primeiros passos foi feita uma pesquisa científica no jornal acadêmico Neuron, da Baylor College of Medicine, em Houston, Texas. O estudo consistia na experimentação dos refrigerantes Pepsi e Coca-Cola. Em um dos casos, os experimentadores não sabiam qual era a marca da bebida que tomaram.Quando perguntados qual dos dois refrigerantes era melhor, metade respondeu Pepsi. Nesse caso, a ressonância detectou um estímulo na área do cérebro relacionada a recompensas. Já quando elas tinham conhecimento sobre a marca, esse número caiu para 25%, e áreas relativas ao poder cognitivo e à memória agora estavam sendo usadas. Isso claramente indica que os consumidores estavam pensando na marca, em suas lembranças e impressões sobre ela. O resultado leva a crer que a preferência estava relacionada com a identificação da marca e não com o sabor.
Ora, certamente que não é nenhuma novidade o fato de que as marcas interferem diretamente nas escolhas feitas pelos consumidores. E que essas escolhas muitas vezes têm um caráter muito mais subjetivo do que objetivo. Mas a novidade talvez esteja no fato de que o que antes era uma simples percepção passa a ser quantificado objetivamente. com esta precisão o Neuromarketing possibilita monitorar as emoções vividas durante as experiências de consumo. Creio que isso não seja pouca coisa.
Bom, não sou daqueles que vê na tecnologia a ruína da liberdade ou coisa parecida. Apenas acho que como estamos no século da informação, devemos estar atento a tudo que acontece e eventualmente usar a própria tecnologia para neutralizar ou minimizar os efeitos deletérios de determinados usos que a tecnologia tem.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Drible da vaca

Algumas expressões no futebol são muito engraçadas. Uma delas é o "drible da vaca", que para quem não sabe, é aquela jogada na qual um jogador (geralmente um atacante) toca a bola por um lado do adversário e corre pelo outro, contornando-o e pegando a bola do outro lado. Noutro dia fiquei sabendo da origem dessa expressão, ou pelo menos de uma versão, e gostaria de compartilhar com os leitores aqui do blog. É o seguinte: contam que o nosso querido Garrincha costumava treinar lá em Pau Grande, lugar onde nasceu, no estado do Rio, com animais. E era com a vaca que ele treinava a tal jogada: dava de um lado e pegava do outro.
É provável que não tenha sido ele o primeiro jogador a realizar esta jogada, mas talvez tenha sido o primeiro a batizá-la. Em sendo verdade esta história, podemos contar mais um pontinho para o nosso genial Mané.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Trabalho escravo no Brasil

Apesar dos esforços do atual governo brasileiro (inclusive com reconhecimento internacional), ainda existe trabalho escravo no Brasil. É evidente que esse tipo de escravidão se baseia em outra forma de organização, diferente da que tivemos no nosso passado colonial. Mas talvez a diferença esteja só na forma, mantendo em sua essência a mesma crueldade e ignomínia. Mas o mais cruel (nem sei o que é mais cruel nisso tudo), é que isso acontece sob o beneplácito de setores importantes da elite brasileira, inclusive com grande representação no congresso nacional, e grande inserção na mídia brasileira. Vemos essas pessoas na televisão com suas gravatas e suas falas empoladas, fazendo análises e diagnósticos da situação brasileira, e até parece que são seres humanos de verdade. E talvez sejam mesmo, e ser "humano" seja essa abertura para tudo: monstros, anjos e tudo o mais.
Abaixo segue um depoimento de um amigo que viu essa escravidão de perto, e um artigo de Laerte Braga.


1- É impossível fazer escravagismo rural no Brasil de hoje sem paramilitares que torturem e matem. Constatei isso no sul do Pará, tendo encontrado paramilitares, fazendeiros, ex-escravos, advogados, familiares de assassinados. Em todos os casos, os criminosos estavam ligados a PSDB/PPS/DEMO. EM TODO OS CASOS.


2- Não sei se o argumento vai comovê-l@ car@ amig@, mas o olhar de um ex-escravo, de uma viúva de lavrador assassinado pela turma do PSDB/PPS/DEMO é algo devastador.


3- Jarbas Vasconcelos foi ao Pará em companhia da senadora escravocratra Kátia Abreu para defender uma empresa flagrada em trabalho escravo, a PAGRISA. Jarbas Vasconcelos tentou humilhar uma mulher corajosa que enfrenta pistoleiros para liberar escravos. Ele disse: "Não se pode agir segundo os chiliques da dona Rute". Algo escandaloso, mas que não inspira indignação em quase ninguém.


A CPI DO MST – OS ESCRAVAGISTAS

Laerte Braga

Quem quer que se dirija ao GOOGLE, pesquisa, digitar o nome do deputado Ronaldo Caiado do DEM (partido de José Roberto Arruda) vai encontrar, entre outras coisas, seu vínculo com o trabalho escravo. O deputado é contrário à emenda constitucional que pune com a perda das terras para fim de reforma agrária, o proprietário ou empresa que fizer uso de trabalho escravo. Ele próprio o faz.

Quem for procurar informações sobre a senadora Kátia Abreu (DEM, partido de José Roberto Arruda) vai encontrar que a senhora em questão encalhou no Senado Federal às custas de dinheiro da Confederação Nacional da Agricultura da qual era presidente e repassado àquela entidade para ser utilizado em financiamentos de projetos agrícolas.

Não são necessariamente corruptos por corrupção. São corruptos pelo que representam. Interesses do mais atrasado e boçal latifúndio brasileiro (se bem que não existe latifúndio não atrasado e não boçal).

Kátia Abreu responde a processo por desvio de recursos da Confederação Nacional da Agricultura, tanto quanto por ter lesado um lavrador em sua região, tomando-lhe a terra num típico conto do vigário.

Nem a senadora e nem o deputado descobriram ainda a existência de garfo e faca, por exemplo, para se possa comer. Conhecem chicote, pelourinho, senzala e toda a sorte de boçalidades possíveis em termos de se tratar escravos.

Ronaldo Caiado e Kátia Abreu associaram-se a empresas estrangeiras, a MONSANTO principalmente, entupindo a mesa do brasileiro e lá fora também, de produtos transgênicos, sabidamente nocivos à saúde e que para muito além disso transformam num curto prazo qualquer terra em imprestável ao plantio do quer que seja, mas aí, suas contas bancárias já estarão aptas a lhes garantir futuro tranqüilo e risonho.

A CPI do MST tem dois vieses que se casam. O primeiro deles assegurar a permanência do regime de escravidão mantido pelo latifúndio brasileiro e o segundo assegurar a posse da terra a empresas estrangeiras, logo, ferindo de morte a soberania nacional, tal a extensão de terras em poder desse tipo de gente.

Se a agricultura brasileira, sustentada na prática pelo pequeno e médio produtor rurais, vai se lascar e o “celeiro do mundo” virar um grande deserto dentro de alguns anos, gerando fome e doenças, isso não é problema deles, pois não são humanos, são figuras desprezíveis e abjetas em todos os sentidos.

O patriotismo deles é aquela forma canalha a que se refere o pensador inglês Samuel Johnson.

A CPI é simples. Estigmatizar o MST com apoio da mídia (a grande mídia GLOBO, FOLHA DE SÃO PAULO, VEJA, BANDEIRANTES, etc) venal e serve aos mesmos patrões, assegurar os privilégios dos latifundiários entre eles o de não pagar suas dívidas com o Banco do Brasil e outras agências de fomento do governo (nunca pagaram e nem pensam em pagar, são caloteiros por natureza), garantindo que permanecerão senhores de escravos e a serviço de potência estrangeira.

São bandidos, bandoleiros lato senso.

Não têm escrúpulos e nem têm nada além da capacidade de urrar e rosnar asneiras.

Que tenham recebido apoio expresso e público do deputado Ônix Lorenzoni, também do DEM (partido do governador José Roberto Arruda) não é novidade. O Rio Grande do Sul embora seja um dos estados mais próspero do País, terra de Mário Quintana entre outros, tem o latifundiário mais brutal e estúpido do Brasil. Ainda desconhecem a existência da roda, mas conhecem a da pólvora com que seus pistoleiros assassinam trabalhadores rurais e pequenos produtores.

E todos eles são financiados tanto por recursos desviados da Agricultura, como por empresas estrangeiras.

A senadora Kátia Abreu, uma espécie de pré-ornitorrinco, tal e qual Ronaldo Caiado. Lorenzoni não. É só um sem vergonha querendo aumentar o por fora. Foi eleita “miss desmatamento.”

Por que não levantar os débitos dessa gente com as agências de fomento à agricultura do governo federal? Os assassinatos cometidos por seus pistoleiros? Será que o brasileiro comum faz idéia de quanto um pilantra como Agripino Maia deve aos cofres públicos de financiamentos para a agricultura e usado em especulação financeira, mas que a GLOBO não informa, pois chega ali boa parte da grana?

A turma de abóboras que gosta de bom dia e escolher a gravata do Bonner?

O que está por trás da CPI do MST? Num primeiro momento garantir privilégios de bandidos como Kátia Abreu, Ronaldo Caiado. Num segundo atender a interesses de grupos econômicos estrangeiros e num terceiro, finalmente, inscrever o Brasil no rol de colônias da corte de Washington, à qual servem com devoção e altos salários.

Isolar um movimento popular que luta por algo que até um general fascista como Douglas MacArthur fez ao final da guerra, no Japão, a reforma agrária.

Quando a fome bater em “grandes plantações”, como afirma Vandré em sua canção “pra não dizer que não falei de flores”, não adianta mandar o xerife atrás desses bandidos. Já estarão longe e o Brasil já será BRAZIL.

A propósito, mesmo o ministro do Meio-ambiente, Carlos Minc, sendo um bobalhão, atrapalha interesses dessa gente e Kátia Abreu usou o recurso mais comum entre os seus. Ameaçou-o de morte por não aceitar assentar-se de quatro no colo do latifúndio.

A CPI do MST é isso. Uma traulitada no interesse nacional. O tal “terrorismo” do MST é uma luta legítima em favor do BRASIL, ao contrário dos que lutam pelo BRAZIL.

Há uma diferença fundamental entre um e outro.

campanha contra propaganda dirigida às crianças

O IDEC (Instituo Brasileiro de Defesa do Consumidor) está, junto com outras entidades ligadas ao consumo, fazendo uma campanha contra a publicidade dirigida às crianças. Apoio integralmente essa campanha e, dessa forma, reproduzo abaixo o texto do IDEC e o link para quem quiser, assinar. Gostaria só de acrescentar que quando li o manifesto lembrei imediatamente de uma letra de uma canção da década de 1970 chamada "receita de felicidade", do compositor cearense Ednardo. Diz a letra:
--------------------------------------------------
Receita de Felicidade

Ultimamente ando às vezes preocupado
Vendo as caras tão risonhas das crianças
Nas fotos dos anúncios
Nos cartazes da parede
Dando idéias que algo vai acontecer
É receita certa pra sensibilizar
Pra esconder, pra mentir ou pra vender
Veja as caras tão risonhas
Tão lindinhas, tão risonhas
Nos jornais, nas paredes, nas TVs

Eu não gosto desses dedos que me apontam
Eu não gosto dessas frases que me dizem
"O futuro deles está em suas mãos..."
Pois é seu Zé, sei não

Não esqueço que algum dia fui risonho
Com u'a carinha bonitinha pra valer
Quem guardou o meu futuro
Quem guardou o meu futuro
Quem guardou o meu futuro - me dê

----------------------------------
Texto do IDEC

EDUCAÇÃO E CONSUMO






10 de Dezembro de 2009

Manifesto contra a propaganda dirigida às crianças






Foi lançado oficialmente ontem (9) o manifesto "Publicidade Infantil Não", que visa fortalecer a luta pelo fim da comunicação mercadológica dirigida às crianças. A página é mantida pelo Projeto Criança e Consumo, do Instituto Alana, e reúne assinaturas de cidadãos e de entidades que apoiam a causa, entre elas o Idec.

Como aponta o manifesto, a criança é hipervulnerável aos apelos das propagandas. Já que ainda estão em processo de desenvolvimento bio-físico e psíquico, os pequenos não possuem as habilidades necessárias para uma interpretação crítica dos inúmeros apelos mercadológicos com os quais são bombardeados diariamente na televisão, internet, entre outras mídias.

Por isso, os signatários do manifesto entendem que a publicidade infantil constitui prática antiética e abusiva e defendem que toda e qualquer comunicação mercadológica seja destinada somente aos adultos.

O Idec defende que as crianças sejam preservadas das artimanhas da propaganda, principalmente quando os artigos promovidos são prejudiciais à saúde, como é o caso de alimentos pouco nutritivos.

------------------------------------------------

Obs.: quando assinei já haviam mais de 3.000 assinaturas. O link é o seguinte:
http://www.publicidadeinfantilnao.org.br/
Ocorreu um erro neste gadget