domingo, 22 de novembro de 2009

Livro: Pontos de cultura - o Brasil de baixo pra cima

Temos falado bastante aqui sobre a importância e relevância da experiência dos pontos de cultura levada a cabo pelo ministério da cultura, a partir da gestão de Gilberto Gil. Essa relevância se expressa não só pelo seu potencial de inclusão social dos detentores dos saberes culturais, o que por si já seria uma coisa extraordinária, mas também pela centralidade que os fazeres culturais passam a ter no campo da política.
Essa centralidade é inevitavelmente geradora de empoderamento para os setores tradicionalmente excluídos da política brasileira.
Desde que setores governamentais no Brasil passaram a valorizar os patrimônios culturais populares o fizeram sem levar em conta as comunidades detentoras desses saberes. O homem, de carne e osso, era relegado a um mero portador daquele patrimônio a ser valorizado, ou em outras palavras: valorizava-se o imaterial e esquecia-se o material. Desde Getúlio essa tem sido a tônica da relação entre Estado e cultura popular. O que agora acontece é realmente um salto de qualidade sem precedentes, o que justificaria dizer: "nunca na história desse país", etc. etc. etc...
Pois é, essa história toda está muito bem contada no livro que Célio Turino está lançando: "Pontos de cultura, o Brasil de baixo pra cima". Célio é secretário do Ministério da Cultura e participou diretamente de todo programa de implantação do projeto, o que faz dele um observador privilegiado. Creio que todos que se interessarem pelo tema devem ler este livro, que de certa forma fala de uma revolução heteredoxa.
Ocorreu um erro neste gadget