sábado, 6 de março de 2010

mídia e poder

  Quem tem alguma dúvida com relação ao jogo pesado que o PIG pretende levar a cabo nas próximas eleições, basta dar uma olhada no sítio eletrônico do Instituto Millenium. Lá, eles dizem com todas as letras o que em tempo passado era dito em papo de alcova. A questão é a seguinte: em contraponto a 1ª CONFECOM (conferência  nacional de comunicação), os grandes meios de comunicação do Brasil realizaram o 1º forum democracia e liberdade de expressão. Lá estavam a nata do pensamento jornalístico-direitista contemporâneo: Demétrio Magnoli, João Roberto Marinho e Arnaldo Jabor, entre outros. Justamente este último disse em alto e bom som, o que o campo conservador (leia-se de direita) deve fazer para impedir que o atual projeto de governo vença as eleições de outubro. Colocarei entre aspas a fala exata, para que o leitor tenha a dimensão da pérola: “Então tem que haver um trabalho a priori contra isso, uma atitude de precaução dos meios de comunicação. Temos que ser ofensivos e agressivos, não adianta reclamar depois”. O "isso" ao qual ele se rerere, é a eleição da Dilma. Então, vejam como é fácil perceber como a mídia age como um partido político, tentando fazer o que o campo político da direita brasileira está demonstrando ser incapaz de realizar.
 Não há dúvida que a questão das comunicações está no centro das discussões políticas na contemporaneidade. É assim na Venezuela, onde a RCTVestava na linha de frente da tentativa de golpe. Foi assim em Oaxaca, no México, há alguns anos atrás, quando uma greve de professores redundou num grande movimento social e cívico e o controle da rádio local foi fundamental para o movimento (nossa imprensa não deu uma linha sobre o ocorrido). É assim na Argentina, onde uma nova lei tenta produzir um maior controle social dos meios de comunicação. Enfim... não faltam exemplos. O controle social dos meios de comunicação é encarado pelo grande capital midiático como um ataque à "liberdade de expressão", e esse tem sido o mote para tentar produzir o consenso conservador. como sabemos todos, o que eles chamam de "liberdade de expressão" deve ser entendido como a liberdade de um certo grupo político utilizar as concessões públicas para atuar em favor da reprodução de seus interesses.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Closed zone - uma animação sobre a situação palestina

Uma animação sobre a situação palestina, ou melhor, sobre o cerco imposto pelo estado de Israel ao povo palestino.

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Diferença entre Dilma e Serra cai para quatro pontos percentuais, diz Datafolha

  Uma nova pesquisa Datafolha mostra que a distância entre a ministra Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência, e o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), caiu de 14 para apenas quatro pontos percentuais desde dezembro. e mais: a mesma pesquisa aponta que a aprovação ao governo Lula situa-se em torno de 73%. Se somarmos a estes, mais 20% dos que acham regular temos um total de 93%.
Tenho dito aos meus amigos em tom de brincadeira, que se a marcha dos números continuar nessa batida a Dilma vence no primeiro turno. Isso se houver candidato de oposição...
  Na última pesquisa do mesmo instituto Dilma estava com 5% a menos e Serra com 5% a mais. Parece que na medida em que os eleitores menos politizados (o grosso dos eleitores) vão identificado Dilma como a candidata do Lula, os votos vão sendo transferidos "naturalmente".
 Com a vitória do candidato da direita no Chile, onde a presidente Michelet tem uma aprovação muito boa, a imprensa local (PIG), começou a levantar a tese de que mesmo com uma aprovação positiva, Lula poderia não conseguir transferir os votos para sua candidata. Bom, no andar da carruagem, parece que é mais uma tese do PIG (Partido da Imprensa Golpista) que naufraga.
Ocorreu um erro neste gadget