sábado, 10 de abril de 2010

ardi

 Numa reflexão sobre o acaso das coisas, fiquei pensando sobre o achado do que vem a ser o fóssil mais antigo da humanidade (há sites que falam em 4 milhões e outros em 2 milhões). Essa descoberta só aconteceu porque em uma certa ocasião, Ardi (é este o nome do Australopithecus sediba) e um outro indivíduo da mesma espécie devem ter caído na caverna, segundo os pesquisadores,  por um buraco e morreram, sendo levados para um lago subterrâneo por uma chuva. Lá, acabaram fossilizados juntos com vários outros animais encontrados no local, como um tigre-dentes-de-sabre, um antílope e um coelho, entre outros. Que charada essa hein! Um coelho, um tigre e um hominídeo...   Talvez trate-se de um exemplo de cadeia trófica, sei lá... o fato é que  o local impediu que predadores ou carniceiros chegassem até os corpos, permitindo que fossem preservados. A erosão das cavernas acabou por expor os fósseis. A posição dos esqueletos e seu estado de decomposição indicam que os dois indivíduos morreram ao mesmo tempo ou muito próximos um do outro. 



 Toda essa cena se deu em um lugar conhecido como o berço da humanidade, e fica onde hoje é a África do Sul (foto ao lado). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget