sábado, 24 de abril de 2010

Maria da Conceição Tavares

Eis, abaixo, um depoimento da economista Maria da Conceição Tavares, em entrevista ao sítio Carta Maior, sobre a sucessão presiencial de 2010.

“Serra não é um neoliberal; é bom que se diga e que não se confunda. Conheço ambos. A diferença entre Dilma e o Serra é que a visão da Dilma é mais consistente do ponto de vista histórico. Dilma escolheu o lado que pode apoiar um projeto de desenvolvimento para o Brasil no século XXI. E isso faz toda diferença. Entre o desenvolvimentismo de boca, do Serra, e o projeto ao qual Dilma pertence, eu não tenho dúvida de que lado fica a consistência histórica.Sim, Serra se opunha ao Malan no governo FHC. Mas Serra não se opôs às privatizações nem à política fiscal, concebida por gente da sua influência. Dilma é mais consistente. E não se trata apenas de superioridade no manejo econômico. Sua visão da economia tem uma contrapartida social coerente; e uma contrapartida de democracia consistente”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget