segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Desdobramentos das sandices do Caetano (o mico do ano)

Quando comentei aqui no blog que tinha a sensação de que Caetano Veloso estava se afastando de um certo campo de idéias coisa e tal, não tinha a dimensão desse afastamento. O "carão" que ele levou da mãe por ter dito aquelas sandices foi surpreendente. Que coisa hein... até a própria mãe. E não se trata de mera questão de discordância, não. Tem um aspecto mais amplo a ser notado. Caetano está indo longe demais. Confunde verborragicamente o que é mão e o que é contra-mão, e quer fazer crer que isso é uma genialidade. Tive o desprazer de ir ao seu blog (obra em progresso) há tempos atrás, e fiquei entre o riso e a tristeza. Riso por ver aquelas contruções frásicas que nada diziam, aqules pesnamentos curvos que não davam em lugar nenhum, e tristeza por ver um poeta de sua estirpe naufragando em sua própria vaidade. Tive o cuidado de ler e reler certas passagens em que ele citava Adorno e Heidegger, e não consegui entender nada. Tudo bem, posso ser pouco letrado em filosofia, mas o texto não explicava nada de nada. Havia aquelas construções do tipo "um quiça Adorno" ou "um talvez Heidegger" que não ia pra lugar nenhum. Lamentável a auto-mistificação de um talvez Caetano. Enfim...
Abaixo um artigo que saiu no blog do Rovai:



---------------------------
(16/11/2009 10:13)
Dona Canô anunciou ontem na Bahia que vai telefonar hoje para o presidente Lula para dizer que não concorda com as declarações do filho Caetano Veloso, que chamou Lula de analfabeto, grosseiro e cafona em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

Não se trata de fato isolado, na sexta, Rodrigo Velloso, irmão de Caetano, fez um pedido público de desculpas, num evento na Praça da Purificação, em Santo Amaro, em nome da família.

Para o Jornal A Tarde, Dona Cano disse que “se ele (Lula) me atender, eu falo com ele”. Sobre puxar as orelhas do filho, ela disse que “ele mesmo puxa, pois sabe que o presidente não merece isso”. E ainda acrescentou que tem muito carinho pelo presidente. “Eu quero muito bem a Lula. Foi uma ofensa sem necessidade”, disse.

“Caetano não tinha que dizer aquilo. Vota em Lula se quiser, não precisa ofender nem procurar confusão”, observou.

O irmão de Caetano, Rodrigo Velloso, secretário de Cultura de Santo Amaro, foi um pouco mais duro. Atribuiu ao “jeito” de Caetano as declarações que achou absurdas. “Ele tem essa mania de falar as coisas sem pensar e aí diz coisas assim. Falou de maneira preconceituosa. Achei uma maluquice. Fiquei revoltado”, afirmou Rodrigo.

Esse ciúme louco que Caetano tem de Chico Buarque dá nisso. Ao tentar aparecer de qualquer jeito desagrada até a mãe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget